segunda-feira, 25 de abril de 2011

LIVRO DE RECEITAS - Você gosta de licor de figos?

Pequenos livros...
Grandes receitas...
Muitos amigos...


Livro de Receitas

No final do verão passado, comprei a casa que por muito tempo pertenceu aos Gray. Estava fechada por mais de 20 anos. Uma linda casa! Meu objetivo era comprar e revender, mas foi quando entrei na sala que tudo mudou. Alguns móveis velhos ainda estavam lá e entre eles, um pequeno baú. Dentro dele, havia algumas folhas soltas de um livro velho, que forravam o fundo. Eram folhas de um livro de receitas. Cada folha, uma receita. Recolhi uma a uma e fui colocando dentro do livro que tinha muitas outras tão maravilhosas quanto aquelas em minhas mãos. Algumas estavam grudadas, mal dava para ver o que estava escrito. Na volta para casa, enquanto organizava o livro, era impossível não imaginar o gosto dos bolos, das tortas, das geléias... e dos licores... ah!! um aroma contagiante...
Resolvi testar algumas das receitas. Enquanto eu terminava de preparar um dos bolos, alguém bateu na minha porta. Era uma vizinha, perguntando que cheiro bom era aquele. Convidei-a para entrar e juntas saboreamos aquele bolo. E isso se repetiu com a torta..., as geléias..., cada receita, uma pessoa na porta, todas trazidas pelo cheiro bom que pairava no ar. Fiz novos amigos, reencontrei outros e os laços de amizade com os mais próximos se fortaleceram. Minha casa já estava ficando pequena demais para tanta gente. Aquelas receitas eram mágicas. Conseguiram o que há anos eu estava tentando. No mês seguinte, mudei-me para a casa onde encontrei o livro e nas sextas-feiras, passou a ser um ponto de encontro. Em uma dessas tardes, uma senhora muito simpática, bateu em minha porta e disse que veio por causa do aroma do licor de figos. Ela entrou e enquanto eu lhe servia um cálice, ela me disse que estava muito feliz, pois estava realizando seu maior desejo:
- "Novamente um cálice de licor de figos e mais uma tarde entre amigos!"
Foi isso que ela me disse.
Ela aproximou-se da mesa e seus olhos brilhavam enquanto ela folhava o livro de receitas. Conversamos enquanto eu preparava uma torta de maçãs. Pedí a ela que ficasse, aumentando assim o grupo de amigos. Com os olhos marejados e um sorriso em seus lábios, ela me disse que era o que ela mais queria. Deixei-a na cozinha e fui receber outras pessoas que batiam na porta. Quando voltei, ela não estava mais lá. O livro estava fechado e ao lado dele sobre um punhado de farinha, eu pude ler: página 03.
Enquanto meus olhos percorriam a casa para encontrá-la, uma brisa leve passou por mim, apagando o que estava na mesa.
Depois que todos foram embora, abri o livro e desgrudei a página 03 da anterior, podendo assim ler o que estava escrito. Tinha uma dedicatória e dizia o seguinte:

“Estas receitas são mágicas e devem ser saboreadas por amigos, degustadas com amigos e estreitar laços entre amigos...
A magia está no fazer.
Comemore, deguste e brinde... principalmente se for com um cálice de licor de figos.”
Adelaide Gray


Um ano depois, minha casa, de ponto de encontro, passou a uma casa de chás, aberta agora, todos os dias. O livro de receitas tem um lugar especial na entrada. Todos que chegam até aqui, sabem da história. Muitas outras são contadas entre os amigos, mas nenhuma se destaca mais que a do livro de receitas. Há quem de vez em quando deixe um punhado de farinha ao seu lado. Quanto à mim, bem, eu sempre deixo um cálice de licor de figos na mesa da cozinha... afinal, eu estou entre amigos...
Lhu Weiss

3 comentários:

  1. ♫° ·.Amiga!
    ✿♥
    Passei para uma visitinha!...
    Que história mais deliciosa!!!
    Quase posso sentir o aroma do licor de figos.

    Um linda semana!
    Beijinhos.
    Brasil°º♫
    °º✿
    º° ✿♥ ♫° ·.

    ResponderExcluir
  2. Fiz magia com todas as cores que tinha
    Fiz aparecer na tela um tocador
    Pintei-lhe um violoncelo a preceito
    Mas ele não sabia tocar uma música de amor…

    O amor nunca acontece sem amor
    Esta coisa do amor será fantasia?
    Será uma noite vestida de nostalgia?
    Será planta envergonhada que floresce ao fim do dia?

    Seja o que for, tem o nome de amor
    Acho bem que seja assim
    Há quem diga que se enraíza para sempre
    E floresce como planta de alecrim

    Doce beijo

    ResponderExcluir
  3. Lhú, que história linda!!! Me emocionei!
    Você é uma excelente escritora, tem muito talento.
    Bjos ;)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...